A Scala Data Centers decidiu proteger seus colaboradores, por meio da desinfecção e higienização do espaço de trabalho. A empresa adquiriu o pioneiro serviço ofertado pelo DUX Grupo para impedir a transmissão do coronavírus.

A medida é pioneira no setor e visa atender as particularidades de um data center e de empresas. A oferta de Biossegurança do DUX Grupo consiste em uma série de procedimentos que estabelecem a garantia da saúde humana, como define a Anvisa. Ou seja, serviços de Biossegurança são contratados como prevenção contra riscos biológicos. Incluem sistemas de desinfecção de ambientes e superfícies, processos de higienização de pessoas, que combinados são de extrema importância no contexto da pandemia e da reabertura econômica.

As soluções do DUX Grupo são oferecidas por meio do Health Control System, e funcionam como uma barreira no combate ao novo coronavírus, para que o agente contaminador não se propague no ambiente de trabalho.

“Nossa solução (à base de cloreto de benzalcônio) é aprovada pela Anvisa e testada pelo laboratório de biologia da Unicamp. Sua duração em superfícies é de até quatro dias, sendo muito mais eficiente que outras propostas. A aplicação por equipamentos permite que as microgotículas do produto se espalhem até nos cantos mais difíceis, que num processo de limpeza tradicional não são alcançados”, explica o diretor comercial do DUX Grupo, Márcio Del Coi, acrescentando que especialistas da Unicamp atestaram que o produto não oferece riscos para as pessoas, uma vez que é atóxico, não inflamável, não corrosivo, não mancha roupas ou bolsas, e é biodegradável.

“No setor de data center, é fundamental que as operações não sejam interrompidas por motivos sanitários. Esse é um fator imprescindível, já que, num mundo tão fortemente conectado como o atual, essas empresas precisam operar ininterruptamente”, ressalta o executivo que em entrevista, fala sobre a atuação do DUX Grupo no setor. Leia, a seguir.

Tatiane Aquim: O serviço de Biossegurança em Data Center é uma tendência que veio para ficar ou irá perder força no pós-pandemia?

Márcio Del Coi: A pandemia impactou a vida das pessoas definitivamente impondo novos hábitos e cuidados no convívio como o uso da máscara, por exemplo. As pessoas identificaram em suas rotinas os vários momentos em que podem se contaminar em ambientes coletivos e passaram a lavar as mãos e alimentos frequentemente, deixar os sapatos na porta e etc. No ambiente de trabalho elas vão reproduzir essas rotinas e as empresas vão precisar estar preparadas para dar conta desses novos rituais de convivência. O DUX Grupo acredita que os procedimentos de Biossegurança nos data centers serão uma exigência do trabalhador e um compromisso dos empregadores para assegurar segurança, eficiência e produtividade.

T. A.: Por que o serviço é tão necessário?

M. C.: As superfícies e os ambientes de um data center precisam estar livres de risco para que os colaboradores possam atuar com mais segurança e para mitigar uma crise sanitária. É preciso deixar claro que os serviços de limpeza tradicionais, que eram adotados até hoje pelas empresas, não são mais suficientes para a contenção desses novos vírus que estão surgindo. Os produtos precisam ser eficientes e de longa duração para que a estrutura do vírus seja destruída e, ao mesmo tempo, não podem oferecer riscos de intoxicação para colaboradores que dividem um mesmo espaço. Logo, os serviços de desinfecção de ambientes e higienização de pessoas são mais complexos e exigem inovação e responsabilidade dos fornecedores para garantir a segurança das operações dessas empresas. Foi por isso que o DUX Grupo referendou a eficiência e a segurança de seus produtos, com laudos de especialistas da Unicamp, para poder atender a diversos setores da economia, nos ambientes corporativos, hospitalares, fabris, educacionais, no varejo e em operações logísticas.

Com a flexibilização do isolamento, as pessoas estão voltando a usar transporte público, a circular nas ruas e retornar ao trabalho; ainda que em muitos casos em forma de rodízio. Sistemas que barrem a transmissão do vírus são de primeira necessidade para a retomada.

T. A.: Já há uma demanda?

M. C.: A demanda existe e muito. Se pensarmos no momento que estamos vivendo com essa pandemia, e na falta de segurança que todos sentimos ao entrar em um ambiente que não tenha medidas de controle para a disseminação do vírus, percebemos uma grande necessidade do mercado, não exclusivamente de data centers, mas de todo estabelecimento que tenha um fluxo de pessoas entrando e saindo.

A partir desse entendimento, o DUX Grupo desenvolveu diversas soluções, que vão desde aplicações robustas e industriais, até compactas e pontuais, visando atender as necessidades de todo tipo de empresa do mercado. Contamos com diversos aplicadores manuais para a desinfecção de ambientes, e também com diversos modelos de aplicação fixa, visando a sanitização de pessoas e objetos. Diariamente, recebemos solicitações das mais diversas empresas e setores. Portanto, estamos sempre em constante desenvolvimento de novas soluções para conseguir atender de forma customizada cada demanda.

T. A.: Desde quando medidas de Biossegurança vem sendo adotadas por empresas de data center?

M. C.: Entre as empresas do setor, a Scala Data Centers é pioneira na desinfecção de ambientes. No início de maio, ela adquiriu unidades das nossas traves de aplicação lateral, que realizam por meios da nebulização de microgotas a higienização das roupas e objetos das pessoas que entram e saem da empresa.

T. A.: Como foi feito o trabalho?

M. C.: Todo o processo junto à Scala foi muito rápido e eficiente. Tivemos um primeiro contato devido uma indicação de um parceiro, e visto o perfil inovador das duas empresas, viabilizamos o projeto com facilidade.

Na oportunidade, realizamos uma avaliação técnica à distância, da entrada da empresa, com imagens e vídeos. Após analisar esses dados, indicamos a melhor solução para aplicação, que consiste em traves de aplicação lateral, ativadas por sensor de presença. Essas traves realizam a nebulização de microgotas do nosso produto, promovendo a higienização de pessoas e objetos que passam pela aplicação.

Após o aceite da proposta, realizamos a instalação do sistema junto ao nosso time operacional. Nessa instalação é realizada toda a validação e calibração do sistema e dos sensores de ativação, assim como treinamento para manuseio dos mesmos, e também da diluição do produto químico.

T. A.: Em quais data centers o serviço foi realizado?

M. C.: As soluções foram aplicadas nas unidades Tamboré (SP) e Glete em Barueri.