Muitas empresas que sobreviveram a este período de pandemia usaram a tecnologia a seu favor. As organizações que souberam administrar toda essa mudança, acelerando a Transformação Digital, saíram na frente da concorrência. O cenário é ainda melhor para quem implementou novas formas de trabalho com processos mais ágeis e virtuais. É o que aponta Igor Freitas, diretor de Tecnologia e Inovação da Livelo, empresa que já nasceu digital, investiu na transformação antes da pandemia e se adaptou rapidamente com integração e fluidez.

“Já estávamos avançados do ponto de vista de dados e segurança, e ainda evoluímos na gestão da nossa infraestrutura. Mesmo que não tivesse existido pandemia, tínhamos esse propósito em 2020 e conseguimos executar”, conta o diretor de Tecnologia e Inovação da Livelo, destacando que a expectativa da empresa para o pós-pandemia são as melhores possíveis. “A vacinação aqui no Brasil já começou, estamos dando os primeiros passos rumo à imunização da população. É um processo que deve ir acontecendo ao longo do ano, conforme o plano nacional de vacinação. Com a situação sanitária evoluindo positivamente e deixando de pressionar a economia, serão favoráveis as condições para o retorno de uma demanda reprimida, que vai impulsionar uma retomada econômica mais vigorosa”, avalia ele, revelando que com a chegada ao PDV, a Livelo já vê crescer sua participação no dia a dia do cliente e vislumbra um cenário ainda melhor no pós-pandemia. “Do ponto de vista de tecnologia, são novos desafios. Precisamos dar suporte às novas funcionalidades que requerem mais capacidade de processamento, mas estamos bem estruturados e otimistas para este ano”, destaca o diretor que em entrevista traz mais detalhes da atuação da Livelo. Confira a seguir.

DatacenterDynamics: Como a Livelo avalia o ano de 2020?

Igor Freitas: Sem dúvida 2020 foi um ano desafiador, com muitas transformações, mas muito importante e positivo para a Livelo. Destaco a nossa agilidade em implementar o home office para todo o time no início da pandemia, graças a uma infraestrutura por VPN que já tínhamos, além dos nossos colaboradores àquela altura já contarem com notebooks e celulares. Esse passo foi decisivo para a continuidade do trabalho com segurança e eficiência. E mesmo à distância, líderes e equipes estiveram próximos e unidos. É algo que faz parte da nossa cultura.

Em junho do ano passado, a Livelo comemorou quatro anos. Foi uma data marcante, pois realizamos uma megacampanha de ofertas para os clientes. E repetimos o feito na #PinkMyFriday, que foi a nossa Black Friday, trazendo para os clientes ofertas mais agressivas, de acúmulo, resgate e transferências bonificadas. Mas, o nosso maior projeto em 2020 foi a chegada da Livelo ao mundo físico. Os clientes Livelo já podem acumular pontos em compras no varejo e resgatar produtos e serviços em lojas físicas e deliveries via QR Code, além dos já conhecidos meios digitais.

Falando especificamente de tecnologia, foi um ano importante para fazer o ecossistema operar de maneira mais fluida. As nuvens escolhidas trouxeram muito valor agregado. A gestão e a governança de toda essa estrutura não são simples, e a integração entre elas é indispensável para termos homogeneidade e segurança. Mas as nuvens certamente vêm gerando valor para o nosso negócio.

DCD: Quais pontos positivos a Livelo destaca de 2020?

I. F.: A Livelo rapidamente reinventou seu negócio diante de um cenário inesperado com a pandemia, que foi o de isolamento social e a impossibilidade das pessoas viajarem. Como é sabido no mercado de fidelidade, os resgates de passagens aéreas eram até a pandemia o principal destino dos pontos.

Com a queda abrupta das viagens nos primeiros meses da pandemia, a Livelo focou em enriquecer seu portfólio de produtos e serviços para ajudar os clientes em suas novas demandas, ação que nos trouxe ótimos resultados como aumento de 80% nas promoções de acúmulo de pontos e de 30% da base de parceiros para acúmulo de pontos, além do número de resgates ter dobrado, com produtos de limpeza, itens para tarefas caseiras, eletrodomésticos e vouchers de delivery sendo os mais procurados no período.

Na área de tecnologia, evoluímos muito na agilidade de interação com clientes e no aumento do engajamento deles com a Livelo, por meio dos nossos produtos e serviços, mas também devido à experiência de uso do site e do app Livelo, que é rápida, simples e fluida.

DCD: Como o setor de cloud vem atuando nesta pandemia?

I. F.: O uso de nuvem é um caminho sem volta para as empresas já há algum tempo. Arrisco dizer que o mundo precisou e precisa cada vez mais - e com mais velocidade - das nuvens.

Nuvem já é um elemento essencial de aceleração, principalmente na pandemia. Basta olhar para as ferramentas de videoconferência, que foram largamente utilizadas para aproximar pessoas e profissionais em 2020, ano marcado pelo distanciamento físico.

Ainda vimos os investimentos crescerem, de forma geral, em segurança: VPN, acesso remoto, videoconferências e e-mail. Tudo foi acelerado para garantir que as pessoas pudessem estar conectadas com segurança e eficiência.

DCD: Gostaria que falasse sobre a estratégia Multicloud da Livelo.

I. F.: Nossa estratégia de utilização de nuvem vem desde 2016, quando a Livelo nasceu. Desde então, a abordagem Multicloud (mais de um provedor) e híbrida (Pública e Privada) que escolhemos e estamos utilizando vem sendo um dos vetores do sucesso da empresa. Hoje, temos parte dos serviços rodando em Nuvem Privada e parte em Nuvem Pública, assim, aproveitamos o que cada provedor oferece de melhor.

Na Google Cloud temos dados, relatórios, monitoramento de vendas e indicadores em tempo real com o Analytics. Na IBM Cloud temos infraestrutura segura - lá estão hospedados nossos microsserviços como backoffice, back-end e URA. Na Salesforce estão nossas jornadas de atendimento e estrutura comercial (sales, leads, contratos). E, por fim, nosso comércio eletrônico é disponibilizado por meio de uma solução que roda em SaaS, chamada de OCC. Todas as nuvens se integram de forma a gerar o melhor valor para a empresa.

Nosso objetivo com uma infraestrutura híbrida é potencializar o nosso negócio. Reduzimos a necessidade de manter o controle de hardware, link e operações de segurança dentro da empresa, o que nos traz flexibilidade e facilita a evolução do nosso modelo de negócio de forma transparente e fluida.

Nos últimos dois anos intensificamos a diversificação e especialização com a estratégia de Multicloud. Migramos 90% dos serviços neste período, direcionando para os provedores de nuvem parceiros, conforme detalhei. Ainda este ano concluiremos a migração de 100% de nossa infraestrutura para nuvem.

DCD: Gostaria que contasse dois casos de sucesso com a cloud.

I. F.: O primeiro caso de sucesso para a Livelo é relacionado a Dados. Estamos investindo em Analytics, com o Google, o que nos permite ter um acompanhamento em tempo real dos indicadores. Por exemplo, durante a Black Friday, esse monitoramento nos ajudou com a estratégia comercial e já trouxe ótimos resultados.

O segundo, foi obtido com a IBM Cloud. A Livelo foi um dos primeiros clientes desse serviço no Brasil. Como infraestrutura e plataforma em nuvem, roda todo o nosso backoffice e o processamento de nossos serviços. Com esse serviço, a gente escala de maneira automática e utiliza de forma mais eficiente os recursos, focando principalmente nas automatizações de pipeline e na entrega de valor.