Num momento em que as conexões remotas e os serviços de banda larga estão sendo testados cada vez mais, com a previsão do aumento de tráfego durante as quarentenas impostas pelo mundo inteiro e o aumento do home office, sabemos que o impacto para empresas que trabalham com redes de cobre pode ser ainda maior. Por isso, podemos trazer o ponto de vista da indústria, mostrando que operadoras que já trabalham com fibra óptica estão melhor preparadas para lidar com a alta demanda de tráfego.

Para falar sobre os desafios e impactos na rede, a DCD conversou com o diretor de vendas da Corning, Tadeu Viana. Confira a entrevista, a seguir.

DatacenterDynamics: A Covid-19 será um teste para a infraestrutura dos operadores de rede como jamais visto?

Tadeu Viana: Sim, a Covid-19 será um desafio para a infraestrutura de rede das operadoras porque o tráfego de dados aumentará significativamente, gerando sobrecarga na rede. Isto acontecerá por duas razões principais:

* Muitas pessoas estão trabalhando desde suas casas (home working), portanto muito do tráfego antes interno ao escritório agora trafega pela rede.

* Com a maioria da população em isolamento em suas casas, a internet se converteu no principal meio de comunicação com o mundo exterior. É através da internet que as pessoas estão recebendo notícias, comunicando-se com seus parentes e amigos, compartilhando conteúdo, etc.

DCD: Países com backbones resilientes da internet e uma abundância de redes de fibra óptica de alta qualidade podem estar em uma posição muito mais segura. Por quê?

T. V.: Sim. A fibra ótica é hoje em dia o meio físico mais rápido, confiável e seguro para o tráfego de dados. Redes com alto conteúdo de fibra e elevados níveis de redundância estão melhor preparadas para suportar o aumento no volume de dados trafegados sem perda na qualidade de serviços.

DCD: Conexões de banda larga à base de cobre podem causar dificuldades no acesso à banda larga?

T. V.: Sim. Conexões à internet por cabos de cobre, sejam telefônicos ou coaxiais, possuem uma limitação natural no volume de dados trafegado que as impede de atender ao aumento de demanda por conta da Covid-19. Os usuários terão seu tráfego de dados limitado desde a saída de suas casas, independente de rede da operadora ser capaz de suportar maior tráfego ou não.

DCD: Alguns dos maiores hubs de interconexão da internet do mundo estão relatando tráfego recorde. Pode relatar algum caso?

T. V.: Na Europa já se pede para que usuários não assistam a filmes em altíssima resolução (4K) e sim em alta resolução (1K), ou seja um bom nível de qualidade de imagem sem comprometer a rede.

DCD: O que é possível fazer? Quais são as saídas viáveis?

T. V.: Entender que banda larga e internet são serviços essenciais aos cidadãos, mais ainda neste período em que estamos vivendo. Por esta essencialidade, priorizar a manutenção e o crescimento das redes de fibra óptica no país.