Sistemas para prevenção e combate a incêndio são essenciais para a proteção de data centers, colocation, CPDs, salas elétricas, salas de TI e outros espaços que abrigam dados vitais para as empresas.

Devido às suas características, essas instalações são vulneráveis a eventuais sinistros que podem se transformar em incêndios, pois contam com uma grande quantidade de materiais inflamáveis e elevadas concentrações de cargas elétricas sujeitas a curto-circuitos, aquecimentos e faíscas gerando um princípio de incêndio.

O fogo, o calor e a fumaça destroem equipamentos de alto valor agregado, servidores, informações armazenadas e a infraestrutura. A interrupção ou descontinuidade das operações causa prejuízos incalculáveis, além de danos aos equipamentos e à imagem da corporação.

Recentemente com as medidas de distanciamento social para conter o avanço da Covid-19, mais pessoas estão usando a internet para trabalhar, estudar e acessar serviços de streaming de vídeo.

O tráfego de dados aumentou muito nos últimos meses, tornando ainda mais evidente a importância da disponibilidade dos ambientes de missão crítica, que precisam manter as operações de forma contínua e ininterrupta mesmo em condições extremas.

Para tanto, além dos cuidados com servidores e infraestrutura de energia, telecom e refrigeração, é preciso ter um plano abrangente e rigoroso de detecção e combate a incêndio. “Um incêndio pode destruir todo o ambiente e paralisar a operação de uma companhia. Os data centers contam com uma grande quantidade de materiais inflamáveis. Por isso, sistemas de detecção e combate a incêndio são essenciais para garantir a segurança e proteger dados e a operação contínua de ambientes de missão crítica”, explica Claudemir Mantovam, diretor técnico e comercial da SMH Sistemas, empresa especializada em engenharia de combate a incêndio. Em entrevista, o especialista fala sobre os sistemas de proteção e combate a incêndio para Ambientes de Missão Crítica e a atuação da empresa no mercado brasileiro. Leia, a seguir.

DatacenterDynamics: Gostaria que falasse sobre a experiência de mercado da SMH Sistemas.

Claudemir Mantovam: Com 27 anos de atuação no mercado, a SMH Sistemas é referência no ramo de engenharia de combate a incêndio para a proteção de ambientes de missão crítica e riscos especiais, atendendo às maiores empresas das áreas de telecomunicações, data centers hyperscale, instituições financeiras, indústrias, construtoras entre outras. O envolvimento da nossa equipe compreende desde o estudo de viabilidade para definir a solução mais adequada do ponto de vista técnico com a melhor relação de custo e benefício para o fornecimento e instalação dos sistemas eletrônicos de detecção pontual, a laser (precoce), alarme e combate automático com agentes limpos (gases) ou água.

A partir do projeto desenvolvido pela equipe de engenharia, fornecemos os equipamentos, realizamos a instalação, manutenção preventiva, corretiva e assistência técnica, recarga de agentes limpos/gases e retrofit dos sistemas para a devida proteção.

A SMH Sistemas é certificada por fabricantes internacionais e atua em todo o Brasil com equipe própria e qualificada. Possui uma estação de recarga localizada na grande São Paulo, que atende às especificações de normas nacionais e internacionais, e mantém um estoque de gases para o pronto atendimento às demandas do mercado brasileiro.

DCD: Quais os principais sistemas contra incêndio que devem ser considerados em um Ambiente de Missão Crítica?

C. M.: Para implantação da proteção contra incêndio em um Ambiente de Missão Critica é necessária a análise de risco, estudos de viabilidade técnica e elaboração dos projetos executivos em conformidade com as normas vigentes: nacionais ABNT’s e NBR’s e internacional NFPA 2001. Os projetos executivos abrangerão:

  • Sistemas preventivos: compostos pelos sistemas eletrônicos de detecção e alarme de incêndio: pontual analógico /endereçável e sistema de alta sensibilidade a laser.
  • Sistemas fixos de combate a incêndio que compreendem os sistemas de supressão de incêndio com aplicação de gases/agentes químicos e inertes: HFC-227ea (FM-200), HFC-125 (FE-25), Fluido FK-5-1-12 (Novec) e IG-541 (Inergen).
  • Proteção Passiva: compartimentação vertical, horizontal com selo corta fogo e firestop.

Após a aprovação dos projetos executivos, é realizado o fornecimento dos equipamentos que compõem os sistemas eletrônicos e hidráulicos para a detecção e combate automáticos ao incêndio. Os equipamentos instalados pela SMH Sistemas são certificados UL /FM, LPCB, CE, VDS, entre outros conforme estabelecido nas normas vigentes.

DCD: Para que serve um sistema de detecção e alarme de incêndio? Quais os principais sistemas disponíveis?

C. M.: O Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio é responsável por monitorar o ambiente protegido, gerar os alarmes necessários no caso de um sinistro e possibilitar uma evacuação segura da área em alarme, bem como a automação dos sistemas de supressão automáticos de incêndio, que podem ser com os gases /agentes químicos, além de garantir que a brigada de incêndio possa intervir e controlar o sinistro quando não houver sistemas automáticos.

Os principais sistemas disponíveis são:

  • Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio Pontual Convencional.
  • Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio Endereçável Analógico Algorítmico
  • Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio por Barreira (Beam Detector).
  • Sistemas de Detecção de Alta Sensibilidade a Laser – HSSD.
  • Sistema de Detecção Linear.

DCD: Quais são os agentes de supressão de incêndio mais utilizados nos Data Centers e as principais características?

C. M.: Os agentes mais utilizados para a supressão de incêndio em Data Centers são os agentes limpos, dentre eles o HFC-227 (FM-200), HFC 125 (FE-25), Fluido FK 5-1-12 (Novec ) e IG-541 (Inergen).

Os agentes químicos limpos recebem esse nome por se tratar de gases químicos limpos, criados em laboratórios, livres de agressão ao meio ambiente, a integridade física humana e as placas de circuito impresso dos equipamentos elétricos/eletrônicos, além disso, não causam asfixia e não deixam resíduos ou sujeira no ambiente e não são condutores elétricos. Principais benefícios:

- Salvam vidas e são seguros para espaços ocupados.

- Protegem o patrimônio sem danificar bens ou equipamentos.

- Extinguem o fogo mais rápido do que a água e não deixam resíduos pós incêndio.

- São amigáveis ao meio ambiente, ou seja, não são agressivos a camada de ozônio e não contribuem para o aquecimento global.

- Aprovados por agências ambientais internacionais.

- Indicados para projetos que demandem a certificação LEED.

-Regulamentados pela NFPA 2001: Standard on Clean Agent Fire Extinguishing Systems.

DCD: Qual a importância da manutenção periódica dos sistemas contra incêndio?

C. M.: Para manter os sistemas operacionais e em perfeito funcionamento no caso de um sinistro, as normas nacionais e internacionais estabelecem um protocolo de testes dos equipamentos e componentes para validar seu funcionamento ao longo dos anos em que os sistemas permanecerão operacionais. As manutenções preventivas também são importantes para se criar um histórico com os relatórios e ART’s (atestado de responsabilidade técnica do engenheiro responsável) emitidos pela SMH Sistemas sobre a performance e funcionamento dos sistemas. Estes relatórios podem ser apresentados pelos nossos clientes às companhias seguradoras para indenização em caso de sinistro no ambiente protegido. A SMH Sistemas possui um departamento que dedica-se a realizar as manutenções preventivas e corretivas, de forma a garantir as respostas dos sistemas dentro dos parâmetros estabelecidos nos projetos e normas. A partir da realização das manutenções, são gerados relatórios mensais para compor o histórico dos sistemas.

DCD: Qual a frequência recomendada para as visitas de manutenção? O que deve ser feito para garantir a eficácia dos sistemas contra incêndio?

C. M.: A periodicidade da manutenção poderá ser mensal, bimestral ou trimestral conforme recomendação das normas brasileiras e internacionais. É recomendável estabelecer contratos personalizados de manutenção preventiva periódica para os sistemas de detecção, alarme, supressão, sprinklers, hidrantes e outros. Nas visitas ocorre a verificação completa de todos os equipamentos, testes, análise do desempenho e simulações reais de funcionamento. Além disso, nossos clientes contam com suporte total (24x7) com equipe própria e qualificada, atendimento remoto ou local e emissão de relatórios periódicos. Em caso de chamados de emergência dos clientes que não possuem contratos de manutenção preventiva, é realizado o atendimento e a solução do problema de forma pontual.

A SMH Sistemas possui um Portal na internet para gerenciar as atividades de manutenção, onde o cliente pode verificar a agenda definida no período de 1 (um) ano, abrir chamados, gerar número de protocolo (tickets) e OS (ordem de serviço) para o atendimento emergencial presencial ou remoto. Em breve, lançaremos a versão em APP, que poderá ser acessada de qualquer smartphone conectado à internet.

DCD: Como proceder se houver uma descarga de um sistema fixo automático de combate a incêndio?

C. M.: Após a descarga do gás é necessário que a equipe de manutenção da SMH Sistemas, realize uma diligência no ambiente protegido verificando a infraestrutura e os equipamentos de modo a identificar o causador do princípio de incêndio. Paralelo às medidas de manutenção é necessário realizar a recarga dos cilindros que armazenam o agente/gás de combate automático ao incêndio. Nossos clientes poderão contar com a nossa estrutura ágil para transportar os cilindros descarregados até a estação de recarga, localizada na grande São Paulo. A estação atende às normas nacionais e internacionais e mantêm um estoque de gases: HFC-227 (FM-200), HFC-125 (FE-25), Fluido FK 5-1-12 (Novec 1230), IG-541 (Inergen) e CO2 suficiente para o pronto atendimento às demandas dos nossos clientes e do mercado brasileiro.

*Para mais informações, escreva para acesse: www.smh.com.br ou escreva para: [email protected]