Buscando abrir caminho para o 5G, a TIM irá virtualizar, até o final do ano que vem, 37 data centers espalhados por todo o Brasil, sendo 21 para Edge Computing. A expectativa é que a  virtualização permita ampliar a capacidade dos servidores, melhorando a qualidade dos serviços, como acesso à internet e consumo de vídeo, representando um passo importante na jornada de digitalização e nuvem da operadora. 

"A virtualização é importante para melhorar a experiência do usuário em nossa rede, que ganhará mais velocidade e estabilidade para o uso de dados. Graças a essa iniciativa de virtualização do Core, a TIM foi pioneira em iniciar um projeto-piloto do 5G sobre a rede real", diz Leonardo Capdeville, CTO da TIM Brasil.

Data Centers Edge em operação:

1. Ponta Grossa - PGO

2. Campinas - CAS

3. Porto Alegre - PAE

4. Florianópolis - FNS

5. Blumenau - BNU

6. Maringá - MGA

7. Londrina - LDA

8. São Luis - SLS

9. Natal - NTL

10.João Pessoa - JPA

11.Goiânia - GNA

Data Centers Edge em construção (planejado):

MG, PI, SP, AL, BA, PR e SC.

No final de junho deste ano, a TIM divulgou demonstrações bem-sucedidas do seu primeiro projeto-piloto do 5G sobre uma rede real, operando na frequência de 3,5 GHZ, em Florianópolis - Santa Catarina. Em parceria com a Fundação CERTI e a Huawei, a empresa habilitou a rede para experimentar aplicações voltadas para cidades inteligentes ou de gestão inteligente de serviços públicos.

A operadora, que quer ser líder e pioneira no 5G, terá ainda outros dois projetos-pilotos para a rede de quinta geração: na cidade de Santa Rita do Sapucaí (MG), em parceria com a Ericsson e com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), há a previsão de implantação de soluções inteligentes para iluminação, segurança e rastreamento de veículos, dentro do contexto de Internet das Coisas.

Já em Campina Grande (PB), junto com o Núcleo Virtus (Núcleo de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Tecnologia da Informação, Comunicação e Automação) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e a Nokia, vai ser possível desenvolver soluções para Cidades Inteligentes, utilizando a plataforma NB-IoT.